Cozinhando os livros: alguém está surpreso que $ 10 + bilhões foi muito para a autonomia?

Novembro 19, 2012
Salt Lake City, UT

Cozinhando os livros: alguém está surpreso que $ 10 + bilhões foi muito para a autonomia?

Em 2011, Hewlett-Packard (HP) [HPQ NYSE] adquiriu a Autonomy, empresa de software sediada no Reino Unido por mais de $ 10 bilhões de dólares. Depois de um suspiro coletivo, a indústria de tecnologia debateu como uma empresa como a Autonomy poderia atingir esse nível de avaliação e por que a HP, que lutou por anos para encontrar seu lugar no moderno espaço de software / hardware, esvaziaria os cofres para fazer a aquisição. Afinal, a Oracle chamou o ex-CEO da Autonomy, Mike Lynch, sobre seu blefe, declarar que o valor de mercado de $ 6 bilhões na época estava superfaturado, e isso foi antes que a HP baixasse o colossal $ 10 +. Depois de um ano balançando a cabeça, agora sabemos como eles conseguiram - como tantos outros escândalos de grandes empresas, a Autonomy engendrou os livros.

Graças a um denunciante da Autonomy, a HP soube que antes de fechar o negócio, a Autonomy "Caracterizou algumas vendas de hardware de baixa margem como software e reconheceu alguns negócios com parceiros como receita, mesmo quando um cliente nunca comprou o produto" [WSJ] A HP e seus acionistas não estão felizes em dizer o mínimo (as ações estão em um mínimo de 10 ano), e podemos esperar uma batalha complexa de vários anos nos tribunais, conforme a HP declarou que acontecerá tentativa de recuperar parte de sua perda por meio do sistema legal.

Com a saída do ex-CEO da HP, Leo Apotheker, e do estrategista-chefe, Shane Robison, Meg Whitman continua a batalha para transformar a outrora líder em tecnologia. Quem ganha em um escândalo como esse? Provavelmente Mike Lynch e outros executivos da Autonomy que lucraram com a contabilidade duvidosa e, claro, as equipes de advogados que vão discutir isso nos tribunais por anos.

Enquanto eles estão ocupados nos tribunais, a NetDocuments continuará trocando as empresas que estão usando o sistema de gerenciamento de documentos iManage da Autonomy para o serviço baseado em nuvem NetDocuments. Os motivos para o êxodo da plataforma iManage sustentam o fato de que empresas de todos os tamanhos estão percebendo que sistemas legados (no local, baseados em servidor) são mais caros e não oferecem recuperação de desastres, mobilidade, etc. o que acaba prejudicando a produtividade da empresa - sem mencionar que preparar seus livros é simplesmente um péssimo negócio.

Ouça as histórias de empresas que usam o produto iManage da Autonomy e por que mudaram para o NetDocuments.